Uma história de amor

TVNão sei se com você acontece a mesma coisa, mas lá em casa, quando eu ligo a minha TV, o que é que eu vejo? Corrupção, tsunami, furacão, avião que cai, guerra na Síria, fome na África, refugiados sendo rejeitados, desmatamento, poluição, marido que mata mulher, enfermeira que espanca velhinho, pedofilia, estupro, desemprego, inflação, sistema de saúde em frangalhos, aluno que agride o professor, rebelião no presídio, tráfico de drogas, tubarão que ataca surfista… Socorro!

Preciso mandar arrumar essa televisão. Quando comprei me falaram que pegava que era uma beleza! Que o som era dolby e “os caralho”… que a imagem tinha alta resolução e pontos quânticos… (?)
Mas quando o cara quer vender, ele é quase honesto. Apenas sonega algumas informações importantes. Por exemplo, não me falaram que a TV que eu comprei só captava sinais de desgraça. Se eu soubesse, tinha ido em outra loja. Isso que dá ser muquirana. Meu pai sempre dizia que o barato sai caro. Minha mãe completava dizendo que era economia de português. Continuar lendo

Anúncios

Flaam, sou fã!

20181111_105531_menorFoi com imensa alegria que participei da segunda edição da FLAAM – Feira Literária e Artística de Americana, no interior de São Paulo. No ano passado apresentei meu livro de poesias “Coisas da vida… minha”, e neste ano foi a vez dos recém-criados “Folhetos Paulistas”, uma série de folhetos baseados nos simpáticos livretos da Literatura de Cordel.
É muito bacana ver a participação entusiasmada das crianças e jovens que serão, muitos deles, os nossos futuros escritores. Eventos como esse são fundamentais para incentivar a leitura e a produção de livros e, principalmente, para se criar uma sociedade sábia e tolerante para com as diferenças pois, como nos livros, cada pessoa tem a sua história para contar. E todas elas trazem uma experiência única! Sou muito grato por participar e peço para que todos aqueles que amam os livros, colaborem de alguma forma, não necessariamente com dinheiro (obviamente necessário), mas também como voluntários. Sejam os leitores, seja a Prefeitura, dando o suporte necessário para que a FLAAM – que já é uma realidade na região – possa crescer e levar o nome de Americana para todo o Brasil e o mundo, como um grande centro da literatura brasileira.
Será sempre uma honra participar!

20181031_menor.jpg O Liberal 2018_menor.jpg
Leia aqui a reportagem que saiu no jornal “O Liberal”, de Americana/SP.

 

Feira Literária de Americana

Screen Shot 2018-11-05 at 7.10.18 PMOlá amigos de Americana e região!
Sou Angelo Asson, escritor de São Paulo, e é com muita alegria que irei participar pela segunda vez da Flaam – Feira Literária e Artística de Americana com meus livros e vários produtos para os amantes da leitura. Aqui no blog, você pode saber mais sobre o meu trabalho, e ainda baixar um catálogo para reservar os seus produtinhos!
Espero vocês lá! É neste final de semana, dias 10 e 11, em Americana, São Paulo.

Assista ao vídeo: AQUI

Você ama a leitura?

Se você é um amante da leitura, você tem mais um motivo para navegar aqui pelo Blog. Tá vendo aí em cima no menu a sessão LOJA? Pois é… Agora, além de dicas de livros, dicas de escrita criativa e serviços para quem quer lançar seu livro independente, você pode adquirir uma série de produtos criados exclusivamente para o público leitor. São camisetas, bottons, chaveiros, placas decorativas, ecobags, marcadores, porta-copos e muito mais! E tem mais: adquirindo qualquer produto, você vai estar colaborando para a produção de livros e projetos de incentivo à leitura. Venha para o nosso clube! Participe!

VEJA O CATÁLOGO COMPLETO!

Resistência

Como autor independente, busco sempre fazer parcerias com gente que está na mesma luta por um lugar ao sol. A luta solitária é uma luta árdua, há que se dar as mãos!
Marcel “Xiva” é um parceiro de conversas filosóficas nas livrarias da vida, onde inalávamos cultura e expirávamos e trocávamos conhecimentos pessoais, sempre acompanhados de um bom café. Marcel é rapper, poeta e produtor independente.
Aqui vai uma palhinha do trabalho dele:

MANIFESTO PELA RESISTÊNCIA
“Eu aguardei até o fim das eleições
Guardei essas rimas comigo, ocupado demais nas manifestações
por que por mais otimista que eu seja, eu temia o pior
Ter medo faz parte do entendimento e da Luta por algo maior
Mas a noite escureceu
e quando eu vi que o discurso de ódio venceu
Eu senti uma aperto que não é só meu
Senti uma fisgada pela minha mãe e irmãs, pelos meus ídolos e fãs
Respirei fundo, fechei meus olhos… Raciocina!
O medo agora tem cara, então o ele não mais ME domina
O medo tem número, é imenso, mas a partir de agora sei seu endereço
Sei onde ele mora, e não é sob a minha cama!
Sei que ele ora, da boca pra fora, sei que ele quer me ver na lama!
To de frente pra enfrentar algo que nunca pode ver
Na sombra o medo me fazia tremer
A escolha é minha, escolhi que vou lutar
A onda pode ser alta, mas eu sei nadar
Vou estudar suas falhas, seus vazamentos
Educar as crianças ao medo terem discernimento
Que medo não tem nada dentro
É oco como um coco seco por fora
O medo é minha obsessão a partir de agora
Seguir o exemplo de minha mãe professora
Serei a resistência que não verás na emissora
Rosas para ignorantes, pedra no sapato dos covardes, oponente para o opressor
É na noite mais escura que a estrela atinge o esplendor
Para os olhos do povo, serei mais do que nunca um educador
Ajudando essa geração que já aprendeu ocupar encontrar seu valor
Vou na maciota, instruir sem alarde
Por que essa terra da gente, das mulheres, gays, negros, índios e mestiços não desses covardes
Querem calar a nossa mensagem?
Só por cima do cadáver!”

Conheça Xiva:
Instagram:
https://www.instagram.com/marcelxiva

Twitter: https://twitter.com/xxxiva
YouTube: https://www.youtube.com/channel/UC4uHDc1Rs4nVPh6UDI76aPA

Dicas de leitura 004

Screen Shot 2018-10-23 at 11.16.33 AMNada como uma boa leitura pra fugir da propaganda eleitoral, cheia de promessas e mentiras. Segue mais uma lista pra você se divertir:

1. Quando Nietzsche chorou (Irvin D. Yalom)
Sobre: Este livro tem como pano de fundo o fermento intelectual da Viena do século XIX às vésperas do nascimento da psicanálise. Na abertura, Lou Salomé roga a Josef Breuer que ajude a tratar o desespero suicida de Friedrich Nietzsche, mediante sua experimental terapia através da conversa. Ao aceitar a tarefa, o médico faz uma grande descoberta: somente encarando seus próprios demônios internos poderá ajudar seu paciente. Assim, dois homens mergulham nas profundezas de suas próprias obsessões românticas e descobrem o poder redentor da amizade. Sigmund Freud, 
um jovem médico interno de hospital, também faz parte desta ficção.
2. Auto da Compadecida (Ariano Suassuna)
3. A metamorfose (Franz Kafka)
4. Modernidade líquida 
(Zygmunt Bauman)
4. Aprendendo com a depressão 
(Juliano Schiavo)

IMG_20181021_015343_943.jpgConheça também o lançamento “Existe amor em SP”, da série “Folhetos Paulistas“.
(Angelo Asson – 16 páginas).
Crônicas que abordam o amor e a solidariedade na cidade grande, mostrando que nem tudo é violência, competitividade e frieza nos relacionamentos, em meio ao caos e à correria dos grandes centros.

Assista ao vídeo e saiba mais: 
Existe amor em SP

Quanto tempo tem o tempo, antes que o tempo acabe?

Screen Shot 2018-10-19 at 6.05.21 PMA gente costuma dizer que o tempo passa. Mas a única coisa realmente infinita, e que sempre esteve presente é ele: o tempo.
Há quanto tempo ele existe? Difícil saber. Mas ele está aí, firme e forte, inexorável em sua onipresença e sua onipotência, sempre a nos espreitar. E vendo a gente passar. São quantos milhões de pessoas, de animais, vegetais, minerais… E há quantos bilhões de anos, trilhões, zilhões… Todas essas vidas sendo geradas em seu útero insaciável. Será o tempo nossa mãe? Ou talvez, devido à sua imortalidade, seja ele Deus? O Deus ao qual todos procuram dar significado e forma, e que está aí, no meio de nós, sempre presente em nossas ralas vidas.
Assiste calado à nossa breve passagem e o proveito que dela tiramos. Continuar lendo